Botafogo, do céu ao inferno

     

     Se tem uma coisa, que não se pode falar do torcedor alvinegro nesse campeonato, é que ele não acreditou no time. O futebol apresentado pelo Botafogo nessa reta final, é de desestimular o mais otimista botafoguense e por mais que o time insista em decepcionar sua torcida, ela insiste em não baixar a cabeça e, sabe-se lá de onde, consegue forças para renovar as esperanças nos jogadores. Contudo, depois do 4 x 0 para o Atlético-MG, lembrei da expressão popular “DAR MURRO EM PONTA DE FACA”. Foi uma Derrota que jogou, mais que um balde de água fria na confiança alvinegra. Foi uma Derrota que mostrou a face real de um time maquiado, um time enfraquecido que sucumbiu, não as cobranças, mas, as suas próprias deficiências.

     Jogadores que brilhavam aos olhos da torcida, dos críticos e de outros times, simplesmente, perderam seu encanto e não conseguiram mais se diferenciar dos demais e, ironicamente, isso tudo se inicia após uma convocação para a Seleção Brasileira. O que parecia ser o início de uma felicidade plena, é na verdade o ponta pé inicial para uma catástrofe alvinegra. Dos últimos 7 jogos, o Botafogo perde 6 e, o que antes era dado como certo, praticamente, foi jogado fora.

     A vaga para a Libertadores, que serviria como um alento a torcida por ter saído do páreo, na disputa do Título, praticamente, está perdida. 

       A torcida se pergunta o que aconteceu? O que faltou? Porque? 

     Com certeza não faltou apoio do torcedor. Pediram para a torcida acreditar! Pediram para apoiar o time! Pediram para ter paixão!

      A torcida fez seu papel. Já alguns jogadores, nem o papel de jogador, souberam fazer.

Fogo Online

A Locomotiva Alvinegra atropela o Vasco

     Incontestável.

     O Botafogo não toma conhecimento do seu adversário e atropela o Vasco que não teve a menor chance no Clássico desse domingo. Em noite inspirada, Loco Abreu comanda o Glorioso na goleada por 4 x 0, marca 2 gols e, de quebra, participa dos lances dos outros gols. Com uma brilhante apresentação o Uruguaio desperta a alegria e a confiança do torcedor e deixa claro que a má fase pode estar com os dias contados. 

     Pressionando desde o início, o Botafogo mostrou uma vontade de ganhar que andava meio sumida nos últimos jogos. A Incontestável vitória de hoje, teve seus personagens principais, eles foram Loco Abreu e Bruno Cortês, sem esquecer dos outros setores que foram impecáveis. Lucas não deixa dúvidas que não pode mais sair da lateral direita, o meio campo é que ainda sente falta Maicosuel e Éverton, a missão quase impossível de manter o nível foi de Felipe Menezes, que não tem como característica dar velocidade, perdeu grandes chances de ampliar o placar. O ponto positivo ficou pela sintonia da lateral esquerda e o ataque, com um toque de bola envolvente e atrevido.

     O resultado expressivo desse domingo, mostrou que Caio Jr sabe do potencial do setor ofensivo, tanto que fechou o treino e não revelou as jogadas entre ataque e laterais. Chance de se recuperar, o Bota vai ter muitas, esse Campeonato Brasileiro vai surpreender ainda. Mesmo os clubes que se encontram na Zona do Rebaixamento estão surpreendendo e para manter as chances de disputa direta pelas primeiras posições, o Botafogo não pode mais achar que ganha jogo só com o nome.

Jean Enaldiê
Fogo Online

O Robin Hood do Campeonato Brasileiro

Loco Abreu em disputa de bola durante o jogo Figueirense x Botafogo

     O Torcedor alvinegro, não engoliu numa boa a derrota do Botafogo contra o Figueirense, nessa quarta(03/08). O problema não foi perder, o problema está em perder com um futebol de terceira categoria, como esse apresentado nesse mesmo jogo. Me desculpem os defensores de Caio Jr., se há algum, mas o atual técnico alvinegro tem mostrado suas perigosas deficiências, mais que isso, tem detonado sua credibilidade, como treinador de ponta e a paciência da torcida, que respira fundo quando o vê se movimentando para mexer no time.

     Conseguir uma boa sequência de vitórias, parece ser algo improvável em um time que figura entre os primeiros colocados em um quesito como passes errados que resultam em contra-ataque!! Erros grotescos de envergonhar qualquer peladeiro, tem sido uma constante em todos os jogos, será que esqueceram que esse é um princípio básico do futebol!? Será que esses erros não são corrigidos nos treinamentos? E a comissão técnica, não tem conseguido corrigir essas falhas!? A desorganização em campo é nítida e o time tem falhado quando todos pensam que vai deslanchar. Justamente contra os pequenos é que deixamos escapar as melhores chances de pontuar e jogadores, como Elkeson, têm apresentado uma queda absurda de rendimento, inexplicavelmente, isso tudo junto vem balançando a confiança no elenco.

     Nesse contexto vergonhoso, o Botafogo tem incorporado um personagem que representa exatamente, seu desempenho em campo. Toma dos grandes e entrega aos pequenos, o épico Robin Hood. Brincadeiras a parte, estar ficando cada vez mais difícil, fazer o torcedor acreditar no time, que tem até se esforçado, mas, que perdido e desorganizado, não consegue corresponder as expectativas.

     Aceitamos qualquer justificativa ou ação que possa melhorar, até porque piorar, é quase impossível. Agora, por favor, não venham novamente dizer que o torcedor tem que confiar e apoiar, que o elenco vai dar a volta por cima. Isso já é exigir demais de uma torcida que se esforça para não jogar a toalha.

Jean Enaldiê
Fogo Online

Fisicamente melhor, Maicosuel tenta reencontrar o bom futebol

Fisiologista do Botafogo diz que meia está mais veloz que antes, mas vê excesso de cobrança no jogador

     A mesma característica que fez Maicosuel conquistar a torcida do Botafogo dentro de campo, a velocidade, ultimamente se tornou inimiga do meia. Não que a grave lesão no joelho esquerdo, sofrida em 2010, tenha diminuido o arranque ou o poder de explosão do jogador botafoguense. Porém, a rapidez com que a torcida tem cobrado o retorno do futebol de alto nível do ‘Mago’, vaiado na partida contra o Corinthians, e a própria autocrítica do jogador, têm atrapalhado seu desempenho em campo.

     Fisicamente, a avaliação do fisiologista do Botafogo, Altamiro Bottino, é positiva. Durante a recuperação da lesão no joelho, o meia passou por um trabalho de fortalecimento muscular. Ganhou oito quilos e já perdeu dois. Segundo Bottino, não existe nenhuma relação entre o trabalho de ganho de massa e o momento que o jogador atravessa, já que Maicosuel apresentou boa evolução nos testes de velocidade e arranque.

“Essa coisa de que o trabalho de fortalecimento deixa o jogador pior é uma lenda urbana. Comparando, os números dele nos testes de velocidade, força e resistência são muito melhores que antes. Esse ganho de massa muscular só não é interessante, quando os resultados de aumento de velocidade não são tão expressivos, mas não é o caso dele”, explicou Botino.

     Sempre presente nas entrevistas do jogador, a palavra autocrítica também ajuda a entender a fase vivida por Maicosuel. A forte cobrança parte do próprio atleta que, no entanto, diz entrar em campo tranqüilo, sem se preocupar em errar.

“A minha cobrança é um pouco mais forte, mas dentro de campo esqueço. Estou tentando fazer as jogadas, mas psicologicamente estou tranquilo. Um dia desses estava com Zico e ele disse que quando se machucou, demorou um ano e meio para voltar a jogar em alto nível. Claro que não quero demorar todo esse tempo, mas eu estou tranqüilo. É continuar jogando e tentando a fazer as coisas que tudo vai dar certo”, disse o meia do Botafogo.

Excesso de cobrança
Uma companhia freqüente do jogador é a psicóloga do clube, Maíra Ruas, que conversa com Maicosuel frequentemente entre o intervalo dos treinamentos e nos momentos de descanso dos jogdores. Apesar de admitir que a cobrança em excesso possa ser prejudicial, ela considera a atitude normal até que o jogador tenha uma sequência de bons jogos.

     “Ele está vindo de uma lesão muito grave e isso pede um tempo até que o jogador se estabilize. Há uma exigência grande da torcida, da mídia, de que ele volte a jogar como antes e, por ele ter um vínculo muito forte com o Botafogo, ser mais que apenas um jogador, ele se cobra bastante. Claro que tudo em excesso é prejudicial, mas isso faz parte do processo”, explicou Maíra, que completou.

     “Cada atleta vai ter sua individualidade, mas sinto que ele está da mesma maneira que antes, muito responsável, muito profissional. Está nessa expectativa para ter uma série de partidas boas, mas bem focado, trabalhando muito para que isso aconteça”, disse a psicóloga do Botafogo.

     Em 11 partidas no Campeonato Brasileiro, Maicosuel anotou um gol, contra o Coritiba, pela 4ª rodada. Contra o Bahia, o jogador teve boa atuação e foi bastante elogiado pelo técnico Caio Júnior, apesar do empate em 1 a 1. A principal dificuldade do atleta é nas jogadas individuais. Segundo o Footstats, o meia lidera as estatísticas do time em dribles errados, com 16 no total e média de 1,5 por jogo.

     Para Bottino, a melhor medida a ser tomada é deixar que o jogador recupere o futebol com o tempo, naturalmente. Por isso, ele cita até o exemplo de outros atletas que tiveram lesões graves e também precisaram de um período de readaptação.

     “É uma questão de confiança, entrosamento com o grupo. O Ganso passou por um problema parecido agora, assim como o Maikon Leite. É natural que esses jogadores levem um tempo para atingir o mesmo patamar anterior. Seria anormal se fosse o contrário”, disse o fisiologista do Botafogo, que se preocupa até com o número de matérias sobre o momento de Maicosuel e pede que tenham paciência com o jogador.

“O número de matérias falando sobre o desempenho dele, sobre o ganho de peso…de tanto ler isso, se o cara acreditar, ele passa a desconfiar se realmente o fortalecimento é correto, passa a fazer os exercícios com incerteza, começa a pensar que tudo o que dissemos para ele pode não ser exatamente daquela maneira. O que ele precisa fazer é só jogar. E nós temos que protegê-lo de uma lesão, deixar ele blindado para jogar bola apenas”, finalizou.

Fonte IG Esporte

Abel Braga, técnico do Fluminense, elogia a equipe do Botafogo

Em entrevista, Abel Braga faz elogio a equipe do Botafogo e diz que Caio Jr tem condições de melhorar o desempenho

     Jogando duas vezes na semana, os times do Campeonato Brasileiro terão que conviver a partir de agora com muitos

 desfalques e problemas com cartões e suspensões. Para o técnico do Fluminense, Abel Braga, mesmo que um jogador esteja jogando bem, caso seja necessário, ele pode ser poupado, de modo a auxiliar a equipe.

     “Se a gente tiver que poupar um jogador por um ou dois jogos, a gente vai poupar. Melhor dois dias do que um mês parado. Não haverá problema nenhum. Temos peças de reposição”, disse.
O comandante tricolor, às vésperas da partida contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no

      Ipatingão, comentou sobre os times do Santos e de Botafogo.
“O Santos contratou muito bem. Está com um meio-campo muito forte. O Henrique, o próprio Íbson, que joga em qualquer time. Tem também Neymar e Ganso. O grupo deles está fechado. O Botafogo apesar do momento vem jogando bem e tem um grupo que o Caio pode mexer muito bem. Tem bons jogadores”, finalizou.

Fonte Rádio Tupi

Botafogo. Em Crise até quando?

Em apenas 3 meses de trabalho, a relação de Caio Jr. com a torcida, não é mais a mesma.
     Dizer que o Botafogo passa por uma crise, já não é mais nenhuma novidade, apesar das derrotas não retratarem bem o desempenho em campo, os jogadores estão sentindo um peso excessivo nos jogos. A torcida marca implacavelmente em todos os lances. Errou, tomou vaia!

     Compreensão nunca foi uma qualidade do torcedor botafoguense, que não tem perdoado as falhas de alguns jogadores e agora começa  a pegar no pé da comissão técnica, para ser mais específico, do técnico Caio Jr., que tenta desconversar quando o assunto é crise. Apesar das derrotas, o Botafogo tem mostrado um bom domínio de jogo, tem chegado com eficiência na frente e em determinados momentos impõe um futebol agressivo e envolvente, mesmo, com adversários de peso. Porém, tudo isso não é levado em conta, se o gol não acontecer. E com razão, afinal estamos em um campeonato de pontos corridos, os pontos perdidos no início da competição, fazem falta do mesmo jeito que os perdidos na reta final.

     E por falar em títulos, o Botafogo está carente deles, talvez esteja aí a explicação de tanta intransigência de sua torcida. O Botafogo é um clube que carrega uma história Gloriosa, é atualmente o clube brasileiro que mais cedeu jogadores a Seleção Brasileira, sem falar que, dentre tantos grandes jogadores se destacam alguns que são ícones mundiais, como Nilton Santos e Garrincha. Isso tudo martela na cabeça do torcedor, que clama por um ídolo ou ídolos no time que possa reconquistar o orgulho de ser alvinegro. 

Redação Fogo Online

Após derrota, M. Mattos desabafa: “equipe precisa de jogador”

     Marcelo Mattos, um dos líderes do Botafogo, pediu reforços para a equipe após o quarto jogo seguido sem vencer. Ao sair de campo depois da derrota por 2 a 1 diante o Atlético-PR, neste sábado, na Arena da Baixada, o volante foi direto ao falar das deficiências alvinegras.

     “Lutamos muito. Minha equipe está precisando de jogador…”, destacou com poucas palavras o jogador.

     Porém, no que depender da diretoria do Alvinegro, o ciclo de contratações para a temporada está encerrado. Uma das maiores deficiências do atual grupo é a falta de opções para o ataque. Contra os paranaenses, Caio Junior escalou apenas o atacante Alexandre Oliveira na frente e falou efetividade para marcar. Perguntado sobre o assunto, Elkeson mostrou irritação.

     “A equipe está criando, está com posse de bola. Quando o time não ganha, vocês gostam de perguntar isso, se não está faltando um homem de área. Mas estamos tentando ao máximo”, comentou o meio-campista.

     Expulso no último minuto da partida, Marcelo Mattos criticou o árbitro Paulo Cesar de Oliveira pela rigor na punição. O volante recebeu cartão vermelho em uma jogada sem bola, quando tentou chegar no adversário e acabou o derrubando, mas alega que nem sequer fez falta.

     “Apenas cheguei na marcação. Achei que não foi para amarelo. Na verdade, nem falta foi. O cara pulou, nem encostei nele”, lamentou Mattos, que não vai atuar contra o Avaí, na próxima quarta-feira, no Engenhão. Outro que está fora por suspensão, mas pelo terceiro amarelo, é Antônio Carlos. Ambos devem dar lugar para o volante Somália e zagueiro Gustavo, respectivamente.

     Na contramão, Herrera retorna após cumprir suspensão contra o Atlético-PR. Loco Abreu, que volta da disputa da Copa América com a seleção do Uruguai, ainda não tem escalação garantida.

Fonte Terra Esporte

 

Botafogo perde mais uma e revela um time fraco

Em treinamento, o atacante Alexandre Oliveira sofre com brincadeiras

     O clima de paz e a sensação de um time forte, podem estar com os dias contados em General Severiano.

     Após perder para Corinthians e Atlético-PR, este último lanterna do Campeonato Brasileiro, o Botafogo deixou escapar seis preciosos pontos e começa a sofrer com as velhas críticas de sua torcida, que parece não estar muito disposta a aceitar mais um ano só de desculpas,  sem conquista de um Título Nacional ou participação em competições internacionais. Em General Severiano, a semana promete ser tensa e quem for dar as justificativas terá que se esforçar para não piorar a situação.

     O baixo rendimento do elenco Botafoguense, tem posto a prova a capacidade técnica de alguns jogadores recém-contratados, como Alexandre Oliveira e Felipe Menezes, além de desgastar ainda mais a relação do torcedor com jogadores, que já andavam em baixa e desacreditados, como Somália e Márcio Azevedo. Tem sobrado até para Caio Jr, que não tem agradado nas mexidas. A confiança no elenco, foi um ponto bastante tocado pela Diretoria que, ao término do ciclo de contratações, se prontificou em passar uma mensagem de time competitivo e cheio de opções, mensagem essa que gerou uma grande expectativa, que pelo jeito não passará de uma expectativa.

 

Redação Fogo Online

Botafogo quer provar que pode brigar pelo título

     Em sexto lugar na tabela do Campeonato Brasileiro, o Botafogo quer mostrar que a posição não é ilusória e que o time vai ficar entre os melhores por toda a competição. Para demonstrar a capacidade para tal, os jogadores veem no confronto com o Corinthians, quarta, em São Januário, a oportunidade ideal.

     “Será um jogo difícil e bom de se estar em campo. É contra o líder, é uma oportunidade de diminuir a diferença de nove pontos. Além de dar moral vencer uma equipe que ganhou oito partidas”, opinou Alessandro.

    O técnico Caio Júnior vai ter reforços importantes para o duelo. O meia Renato, contratado recentemente, faz sua estreia, e Marcelo Mattos, de compromisso renovado, volta à equipe. Ambos formarão uma qualificada dupla de volantes, que certamente dá mais qualidade à saída de bola do time.

     Com dores na canela da perna direita, o zagueiro Fábio Ferreira não treinou nesta segunda-feira e virou dúvida para pegar o Corinthians.

Fonte ESPN

 

 

O Botafogo se prepara para ganhar nos detalhes

Caio Jr e Elkeson em treinamento do Botafogo

     O Botafogo não esconde sua preocupação com a próxima rodada, mas, sabe que tem condições de vencer o Corinthians e já prepara seu leque tático e técnico para o confronto nessa quarta-feira(20/07).

     O bom momento do time paulista preocupa, mas, também gera uma grande expectativa na Comissão Técnica do Botafogo, que joga em São Jenuário e que vai contar com mais dias de treinamento para o jogo. Medir forças com o líder do Campeonato, com 6 pontos de vantagem para o segundo colocado na tabela, pode revelar o verdadeiro potencial do time de Caio Júnior.

     Mesmo contando com essa pequena vantagem, o time carioca sabe que terá que fazer uma partida perfeita, se quiser somar mais 3 pontos e endurecer a briga na ponta da tabela. Para esse jogo o Botafogo não contará com 5 jogadores títulares que desempenhavam funções vitais no esquema tático: Loco Abreu e Jéfferson, servindo a Seleção Uruguaia e Brasileira respectivamente, Cortes, Éverton e Bruno Thiago estão entregues ao departamento médico e se recuperam de lesões. Éverton provavelmente só retornará aos gramados, em 60 dias, no clube já se cogita procurar reforços para essa baixa.

     Em quanto isso o time paulista, sabe que mesmo desfalcado, o Botafogo será um adversário difícil de ser batido jogando em casa. Os números comprovam isso, o Glorioso está invicto em jogos com mando de campo e tem se destacado pela excelente campanha que vem fazendo contra grandes times. Que o digam Grêmio, Santos e São Paulo! 

Fonte FOGO ONLINE